Papo de BFF

3 01/2016

Como levar um fora sem surtar

Postado por: Redação todateen

Não adianta fazer loucuras para reatar um namoro, melhor é aprender a superar a dor de cotovelo. Veja como dar a volta por cima

Levar o fora é como um nocaute, a autoestima vai à lona. Depois do baque, e com os olhos inchados de tanto chorar, você cai na cama e dá de cara com a foto do ex-fofo.

Liga o celular e aparece a última mensagem do bem (agora mal) amado. A cada momento de solidão, ataca a caixa de bombom para não cair na tentação de ir atrás do dito-cujo. No iPod só toca Damien Rice. E dá-lhe chororô. Parece mais um enredo de um dramalhão mexicano, mas acredite: deve ser assim mesmo.

 

Crie um ritual de despedida

Chorar nessa hora é o primeiro passo para o recomeço. Não se reprima, deixe as lágrimas rolarem e as emoções fluírem, para ter a chance de elaborar a perda. É muito comum ter a sensação de que o rompimento será passageiro.

Foto: Shutterstock Images

“Por isso é importante cada uma criar um ritual pessoal de despedida, como esconder as fotos. É uma forma de mandar uma mensagem ao cérebro avisando sobre o final da relação e de que é hora de se preparar para a mudança. Depois, reorganize o cotidiano”, aconselha a terapeuta de casal Lana Harari.

Em um primeiro momento, dê uma repaginada geral na decoração e nos badulaques comprados a dois. Enfim, elimine todos os vestígios do ex-casal. Apegar-se a objetos e lembranças é uma forma inconsciente de se ligar ao ex – e um pulo para cair na depressão. Ao invés de perder tempo com recordações, pense na sensação boa de estar livre, leve e solta para fazer o que bem entender da vida. Claro, falar é fácil, mas quanto mais cedo encarar a realidade, mais rápida será a recuperação.

 

Desabafar é preciso

Alugue a orelha das amigas e desabafe bastante. Amizade é para essas coisas, mas cuidado para não exagerar. Nem mãe merece ouvir a mesma ladainha de sempre. Uma boa dica é escrever todos os defeitos dele e reler na hora do aperto para não cair na cilada de idealizá-lo e lembrar só dos bons momentos.

Para levantar a autoestima, concentre-se em você. Aposte na academia, não deixe de ir à manicure, faça aquele curso que acaba sempre adiando, descubra um hobby e, de quebra, amplie o círculo de amigos. O que não dá é ficar em casa de cara feia. Divirta-se e saia com as amigas. “É preciso uma dose extra de esforço para mudar o dia a dia e criar novas oportunidades”, reforça Lana.

Depois de tudo isso, se você der de cara com a foto do ex-casal e notar apenas que você está linda, parabéns! Você está definitivamente curada e pronta para um próximo round.

 

Táticas de sobrevivência

Carla Spach, autora do livro Aperte o cinto, seu marido sumiu (Editora Matrix), dá preciosas dicas para seguir em frente:

• Os amigos eram os mesmos do ex? Desenterre a agenda e retome as antigas amizades. Desculpe-se pela ausência com carinho, costuma dar certo.

• Você merece um mimo. Sabe aquela saia curta com a qual ele implicava? Compre uma agora, mais curta ainda. Só não troque a solidão pela compulsão, por favor.

• Dar uma de mártir de vez em quando acontece nas melhores famílias, mas procurar culpados em uma situação irreversível só atrasa a cura.

• Aceitar que nem tudo acontece da maneira como a gente planeja ou sonha, não é nenhum sinônimo de fracasso pessoal. A vida é repleta de acertos e erros. Tente aprender com as adversidades e modifique seu comportamento.

• Reaprender a olhar para os lados e espalhar sutilmente a sua solteirice. Não tenha dúvida, os olhares vão aumentar. Flertar faz milagre para a autoestima.

• Nada de atacar o chocolate. É muito melhor aplacar a ansiedade suando na academia. O corpinho agradece.

• Se ele não te quis, azar dele. Ame a si mesma, que o resto
acontece naturalmente.

Texto: Daniela Venerando

** Já curtiu o Facebook da tt? Corre lá que tá bombando!

Os comentários não representam a opinião deste site; a responsabilidade é do autor da mensagem.