Amor?

Depois de sete horas de viagem, finalmente chego lá, onde tudo é floresta, com cabanas de madeira, e quando chego, adivinha que...

Depois de sete horas de viagem, finalmente chego lá, onde tudo é floresta, com cabanas de madeira, e quando chego, adivinha quem eu vejo?! Sim! Justin Bieber! Nossa, por quanto tempo sonhei em conhecê-lo?
-Então, você é a famosa Marianny? Que ganhou uma viagem… – pergunta-me.
-S-sim…
Passam-se cinco minutos.
-Você é sempre assim, quietinha?
Rio, rio muito alto.
-O quê? – pergunta, confuso.
-Não é nada não, só que normalmente eu falo muito, muito mesmo…
Eu finalizaria a frase, se esse cara mágicamente lindo, não tivesse me puxado para um beijo. E nossa, que beijo! Eu já deveria desconfiar, afinal, ele namorava a Selena Gomez, imagina se ela, namoraria com alguém que beijasse mal! Ok, eu sei que ele era legal, fofo e tal, mas…
Ele só parou de me beijar quando o ar se fez realmente necessário, então, começamos a conversar e descobrimos que tínhamos realmente muito em comum, poderíamos nos casar, se quiséssemos, mas seria meio absurdo assim do nada, não?
Fui para casa, então.

Eu estava quase pirando quando liguei para Luís, contar-lhe sobre o encontro que descrevi como perfeito. Chamei-o para me fazer companhia, já que eu não tinha nada para fazer e queria contar-lhe tudo.

-Oi, Mary! – cumprimenta, me abraçando, sempre nos demos muito bem.
-Oi, Lulu! – impliquei, ele odiava esse apelido.
-Droga, para de me chamar assim, vamos logo, conte.
-Ok, eu cheguei lá e nós trocamos umas palavras, ele me beijou e depois conversamos de verdade. Sem graça, mas você sabe que eu gosto assim. Eu tenho muita coisa em comum com ele, fiquei tipo, “aaaaaaaah”.
-Hã… então, vocês combinaram de se ver?
-Não… – respondi cabisbaixa.
-Passa o número dele pro tio, passa.
Dei o celular de Justin para ele, e, logo, Luís havia marcado um encontro para mim, o qual, seria o segundo e último, mais tarde descobri.
Justin, ao sair do encontro, bateu com seu carro e não aguentou, morreu. “O que eu faço agora…?”, perguntava-me, o amor de minha vida, estava morto.

Dias depois, quando fui ao seu enterro, encontro sua “ex-ex-namorada”. Antes da Selena, ninguém sabia sobre o caso, mas naquela noite eu descobri tudo.
Natália estava com um vestido, exageradamente decotado, preto com rosa pink, o que não achei adequado para um velório.
Ela me fuzila com o olhar e vem falar comigo, não sei porquê.
-Então você é a vaquinha que matou o meu Justin…
-Um, eu não sou vaca, olha sua roupa, querida. Dois, ele NÃO ERA seu, ele era dele mesmo, o namoro de vocês havia acabado há muito tempo
-Ui, Marianny está revoltada. – após dito isso, ela tenta, só tenta, me estapear, mas sou mais forte e a impeço, logo, estamos rolando por lá, quando Luís aparece e aparta nossa briga.
[Passam-se dez anos…]

Hoje sei que eu realmente amava Justin, mas não como “amor de minha vida”, só como todo fã ama seu ídolo.
Estou realmente muito feliz, sendo namorada de Luís já tem cinco anos, ele é muito fofo! Eu o amo e como já disse, estamos juntos há cinco anos e amanhã, eu completo meus vinte e seis anos, sou um ano mais nova e ele já até me pediu em casamento!
Iremos nos casar daqui seis meses e teremos dois filhos, Martha e João, será tudo mais perfeito do que quando eu pensava amar Justin como amo Luís agora(confuso, não?).
Então, Diário, sinto muito, mas acho que terei que te abandonar agora, estou me sentindo velha demais para você, mas juro que serei muuuuuito feliz!
Até um dia, Diário, até um dia.

Ana Carolina Stangler

Próxima notícia