Blog da Klara Castanho na todateen: idolatrar ou admirar?

No post de hoje a Klara fala sobre a diferença entre admirar e idolatrar. Bora aprender com ela?

Blog da Klara Castanho: idolatrar ou admirar?
Foto: Reprodução/Instagram

Primeiro, vamos às definições encontradas no Google:

  • “Idolatria: ação de cultuar ídolos; excesso de amor; admiração demonstrado de forma exagerada.”
  • “Admiração: contemplar alguém ou algo com prazer, orgulho e carinho.”

Agora sim. Eu, particularmente, não acho idolatria uma coisa muito saudável. Quem idolatra se torna quase um cego apaixonado. Digo isso me baseando no ditado “todo apaixonado fica cego de amor”, sabe?

Os ídolos mudaram muito com o passar do tempo. Nos anos 60 eram os grandes cantores como Roberto Carlos, Ronnie Von, e com toda certeza, Os Beatles. Nos anos 70, Zé Ramalho, Bob Dylan e muitos outros… Nos anos 80, U2, Cyndi Lauper, Madonna, Vanilla Ice, Bon Jovi, Guns N’ Roses bombavam. Nos anos 90, Nirvana, Aerosmith, Backstreet Boys, Spice Girls, Britney Spears, Rouge… E hoje em dia?

Hoje em dia somos fãs de absolutamente TUDO que vemos, ouvimos e assistimos. É claro que falei mais sobre os anos 80 e 90 por ouvir muito meus pais falando sobre. Se fosse nos dias atuais, eu passaria hora listando. Afinal, gostamos de cantores, atores, dançarinos, jogadores, youtubers, influencers… Enfim, gostamos de uma penca de gente!

Eu amo uma frase da Thalita Rebouças que é: “adolescente ama amar tudo. E é um amor absurdamente real.” E sim, é muito verdade! Mas é aí que entra a admiração. Você gosta de algo que essas pessoas fazem e os acompanha. É algo incrível e absolutamente saudável. Já no caso da idolatria, é muito comum esse nível de adoração extrapolar limites e até mesmo chegar a níveis extremos, como foi o caso do fã que assassinou John Lennon. Ou caso da apresentadora Ana Hickmann, que foi perseguida e “quase” sequestrada.

Ser alguém público requer muitos cuidados. Mas mais ainda depende muito de uma colaboração geral. Nós não somos produtos. Estamos, sim, expostos. Mas não deixamos em momento algum de sermos humanos. Ninguém é capaz de julgar ninguém por atitudes, escolhas, opiniões ou direcionamentos.

Mas, porém, contudo, todavia, a internet é terra de ninguém, onde todos se sentem poderosos o suficiente para odiar tudo. E é exatamente por isso que devemos tomar muito cuidado!

Que a gente ame MESMO, que a gente admire MESMO, mas que saibamos medir o quão saudável isso vai ser.

Se cuidem!

Um beijo e um cheiro 🖤


Klara

Os comentários estão desativados.