Cara Delevingne fala sobre batalha contra a depressão

Confira a entrevista reveladora que a atriz Cara Delevingne concedeu ao Dazed!

Entrevista Cara Delevingne

Linda, famosa, com milhões de seguidores, superpopular, engraçadíssima, cheia de amigos legais e famosos… Vida perfeita? Não para Cara Delevinge. Em entrevista ao Dazed, a atriz comentou desde sua conturbada relação com o mundo da moda, até a forte depressão que a fez rever suas prioridades. Além disso, segundo a publicação, para se reerguer do período difícil, a atriz contou com a ajuda da supermodel Kate Moss, além de hobbys como escrita e yoga. Confira:

Entrevista Cara Delevingne

FOTO: Getty Images

É um mundo vasto e maravilhoso. Há tantas coisas para descobrir. Mas a maior jornada de todos nós é a interna: achar nossa verdade, quem nós somos, o que nos faz felizes. Em nossa cultura, ouvimos dizer que se somos bonitas, magras, famosas, se todos nos amam, nós seremos felizes. Mas isso não é uma verdade absoluta“, foi assim que a atriz e ex-modelo Cara Delevingne começou a entrevista.

[saiba_mais]

Cara Delevingne contou que tudo começou na escola, quando ela tinha 15 anos. “Eu me esforçava tanto e sempre tive dificuldades de aprendizagem. […] era completamente suicida, não queria mais viver. Eu pensei que estava completamente sozinha. Eu não via o quão sortuda era, com pais, familiares e amigos maravilhosos, mas isso não importava. […] nada parecia melhor para mim que a morte, o que é completamente insano!”. A partir daí, Cara passou a fazer terapia e a tomar antidepressivos, para “voltar a ter pensamentos racionais”.

Entrevista Cara Delevingne

FOTO: Getty Images

Aos 17 anos, contrariando os pais, ela resolveu sair da escola. Porém, a garota sabia que teria que fazer algo. Então, começou a modelar“Constantemente eles afirmam que você não é bonita, alta, ou magra o bastante […] você sente como se devesse ser usada, pois é isso que modelos fazem”, comenta Cara Delevingne.

O que parece o emprego dos sonhos para muitas jovens, era o pesadelo de Cara Delevingne. Em entrevista, a ex-modelo confessou que – para ela – a indústria da moda é “horrível e repugnante”, e que a fazia se sentir oca, vazia, e a odiar seu próprio corpo. Alguém aí se identificou? Durante essa época, a ex-modelo afirma que nunca havia se sentido tão desconectada de seu verdadeiro “eu”. Enquanto perdia o controle da mente, o corpo de Cara também dava indícios de que as coisas não iam bem.

Sobre a época, Cara relembra: “Eu não sabia dizer não a ninguém. Depois de algum tempo, fiquei doente e sofrendo com a psoríase [uma doença inflamatória da pele caracterizada por lesões avermelhadas]. Me sentia desligada de mim mesma, mas a minha agência apenas me encaminhou para um cirurgião, que me administrou cortisona, mas, na realidade, o que eu mais queria era que alguém me parasse, visse que eu não estava bem, e ninguém fez isso”. Porém, enquanto passava por crises fortes de depressão, ela pode contar com conselhos pessoais da supermodelo Kate Moss que, segundo Cara, ajudou-a a se reerguer: “[…] ela me levantou do chão em um momento de muito stress”. Cara também passou a fazer aulas de ioga que, no começo, eram apenas para deixá-la mais flexível. “[…] mas depois percebi que podia ir muito mais longe e resolver muita coisa a nível mental”, comenta. Aproveite para saber mais sobre como a ioga pode ajudar adolescentes.

Além de receber ótimos conselhos de Moss, Cara também descobriu um hobby que a ajuda a extravasar seus pensamentos: a escrita! Durante um desses períodos conturbados, Cara escreveu o seguinte poema (traduzido livremente):

Quem sou eu? Quem estou tentando ser?
Não eu mesma. Ninguém além de mim.
Vivendo em uma fantasia para enterrar realidade,
Tornando-me um mistério
Uma fachada forte disfarçando a miséria
Vazio, mas para além do ponto mais vazio
Completamente à margem da falsa confiança
Uma guarda que nunca será quebrada
Porque eu quebrei há muito tempo
Eu estou machucada, mas não conto a ninguém,
Ninguém precisa saber
Não mostre onde você falhou
Sempre OK, sempre bem, sempre em exposição
O show deve continuar
Ele nunca vai parar
O show não deve continuar
Mas eu sei que vai
Eu desisto, eu desisto de desistir
Eu estou perdida
Eu não preciso ser salva, eu preciso ser encontrada.

Texto original:

Who am I? Who am I trying to be?
Not myself. Anyone but myself.
Living in a fantasy to bury reality,
Making myself a mystery
A strong façade disguising the misery
Empty, but beyond the point of emptiness
Full to the brim of fake confidence
A guard that will never be broken
Because I broke a long time ago
I’m hurting but don’t tell anyone,
No one needs to know
Don’t show what you’ve failed
Always OK, always fine, always on show
The show must go on
It will never stop
The show must not go on
But I know it will
I give up, I give up giving up
I am lost
I don’t need to be saved, I need to be found

O processo de escrita fez com que Cara pudesse compreender melhor seus pensamentos: “Eu escrevia, depois lia, e era como se outra pessoa estivesse falando comigo. ‘É assim que eu me sinto?’, foi uma experiência bem estranha“.

 Confira a entrevista completa (em inglês) abaixo:


Para finalizar, a atriz disse que sua mensagem principal é que ter depressão é algo normal, e que o assunto deve ser abordado entre amigos e familiares. Além disso, a atriz também deixou claro que você deve se aceitar e amar seus pontos fortes. “Ser modelo é legal, não é algo ruim. Mas existe muito mais a ser feito […] continuem sonhando alto”, afirmou. Sem dúvidas, Cara Delevingne arrasou na entrevista e deixou mensagens incríveis para reflexão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Próxima notícia