Mulheres mostram o que acontece quando homens que as assediam são confrontados

Grupo de mexicanas retrucou a assédios nas ruas e o resultado é impressionante

Morras confrontam homens nas ruas que as assediaram
Foto: Reprodução/Youtube

Toda mulher já foi assediada na rua. Pensando nisso, um grupo de mulheres da Cidade do México, as Morras, decidiram gravar os assédios que sofriam quando andavam pelas ruas da cidade (um dos homens chegou a se masturbar na rua) e filmar a reação dos homens quando eles foram confrontados por elas.

Quando algum machista mexia com alguma das meninas – ou com todas, como ocorre na maior parte do vídeo – elas o confrontavam perguntando o que o homem tinha dito. A reação é a mais impressionante de todas, assista ao vídeo em espanhol:

Alguns ficavam envergonhados e pediam desculpas ao serem confrontados, outros achavam um absurdo a mulher retrucar o assédio e pedir por respeito, outros se faziam de desentendidos. A questão é que retrucar o assédio não é uma atitude esperada: incomodou. Incomodou e surpreendeu o comportamento machista dos homens, que estão acostumados a assediarem e se acharem os maiorais por isso, sem nenhum tipo de confronto. Foi incrível para as mulheres que não se calaram diante do absurdo.

Morras confrontam homens nas ruas que as assediaram

Foto: Reprodução/Youtube

A sororidade (união entre as mulheres) presente no vídeo é o que mais impacta. Elas apenas buscam por respeito ao andar pelas ruas de sua cidade, apenas querem andar livremente, com a roupa que quiserem, sem serem cercadas por gritos e assovios desrespeitosos.

VEJA TAMBÉM

+ Garota de 17 anos cria página no Facebook para denunciar abusos que sofria do pai

+ Adolescentes lutam pelo direito de poder usar shorts na escola

+ GORDA E LINDA! Jornalista tem muro pichado e responde que ofensa “deu errado”!


Esse vídeo nos mostra que precisamos sim retrucar os assédio nas ruas, e os homens precisam se sentir envergonhados por esse comportamento machista que invade milhões de mulheres ao redor do mundo todo. Vamos em busca da sororidade e empoderamento feminino?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Próxima notícia