O dilema dos piercings e tatuagens

Tatuagens e piercings são para sempre. E aí, fazer ou não fazer?

Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock

Você provavelmente já olhou um desenho e imaginou o quanto ele ficaria lindo tatuado no seu pé ou nas suas costas. Também deve ter pensado o quanto o seu estilo ganharia um up com um piercing na sobrancelha. Ok, mas antes de tentar convencer seus pais dessa ideia, é preciso ter certeza de que sua vontade não vai passar rapidinho…

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

TATUAGEM

Depois que você fez, não dá pra descartá-la tipo uma blusa que foi comprada por impulso. A tattoo vai acompanhar você sempre. E é pra valer, da praia à festa de formatura e dos 16 aos 86 anos, quando sua pele estiver toda enrugada. Vai, inclusive, andar juntinho com suas mudanças de estilo. Por isso, nâo rola ir tatuando algo passageiro. “Não é legal seguir a moda ao escolher um desenho, mesmo porque a moda passa e a tattoo fica”, conta Eveline Jacob, designer e tatuadora.

Ops! Caso você se arrependa, vai precisar de um tratamento com inúmeras sessões de um laser específico (que não sai nada barato, aliás). “E podem ficar alguns resquícios. Pigmentos verde, laranja e amarelo são os mais difíceis de serem removidos”, alerta a dermatologista Cristina Graneiro.

Tatuar o nome da sua banda preferida ou do seu namorado é megaarriscado. Quem garante que você vai amar esse banda ou esse garoto forever, hein?

PIERCING

O fato de você poder tirá-lo quando enjoar dá mais coragem de fazer. Mas, de qualquer jeito, uma marquinha (ou uma supermarca, isso depende do poder de cicatrização do seu organismo) vai acompanhar você.

Com cuidado! Nada de fazer piercing por conta própria em lugares suspeitos. Você corre o risco de ficar com uma inflamação horrível e aí não vai conseguir esconder isso dos seus pais.

“As cicatrizes mais evidentes são as da sobrancelha e do umbigo. Como a orelha e o nariz são formados por cartilagem, a recuperação é mais rápida”, explica Cristina.

FIQUE LIGADA!

Se você quer mesmo fazer uma tatuagem e seus pais não deixam, melhor esperar até os 18 anos: é que os estúdios que topam fazer isso sem o consentimento dos responsáveis não são nada confiáveis. Passe longe!
N‹o banque a econômica e desconfie de quem cobra uma pechincha. “O material da tatuagem e da assepsia é caro, por isso não tem como acreditar que um lugar que cobra preços muito abaixo da média é seguro”, diz Eveline.
Visite vários estúdios e converse (faça todas as perguntas que tem vontade) com os profissionais até você confiar e se sentir bem com um deles.


Texto: Mariana Scherma e Melissa Marques
Consultorias: Cristina Graneiro, dermatologista da Cl’nica e Spa Harmonya (RJ)
Eveline Jacob, designer e tatuadora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *