As séries mais polêmicas da Netflix

Entenda por que Baby e Insatiable estão dando o que falar

séries polêmicas da netflix
Foto: Reprodução / Montagem: todateen

As séries polêmicas da Netflix foram alvos de críticas ao longo do ano todo. A segunda temporada de 13 Reasons Why, que saiu em maio, já previa um pouco do que aconteceria com outras produções da plataforma de streaming. Recentemente, estavam dizendo que Insatiable é gordofóbica, e a série Baby foi acusada de banalizar o tráfico sexual de menores de idade.

Saiba mais sobre Baby e Insatiable, as séries polêmicas da Netflix:

Insatiable

Lançada em agosto, Insatiable, que tem Debby Ryan como protagonista, foi massacrada por praticamente todo mundo que assistiu. A série conta a história de Patty, uma adolescente que sofre bullying por conta do seu peso e, após emagrecer, se torna popular e promete vingança a quem a ofendia. Claro que isso foi o bastante para que uma onda de protestos surgisse na internet: muita gente concordou que a trama sugere que coisas boas só acontecem na sua vida se você emagrecer.

Lauren Gussis, idealizadora de Insatiable, rebateu os comentários negativos dizendo que a narrativa funciona como uma sátira, já que trata de assuntos considerados tabus. A única mensagem positiva, segundo as críticas, está no sexto episódio da série, quando uma concorrente de um concurso de beleza que Patty participa diz: “não adianta ser bonita por fora e feia por dentro.” Mas, apesar disso, várias pessoas que assistiram à série estão dizendo que realmente ela é gordofóbica, sexista e desrespeitosa com a comunidade LGBTQI.

Insatiable recebeu a pior avaliação entre todas as produções originais da Netflix e, mesmo envolvida nessa polêmica, ainda foi renovada para a segunda temporada. Eita, será que a Netflix mandou mal? O que você acha?

Baby

A série italiana estreou no fim de novembro e deu o que falar. Baseada em fatos reais, narra a vida de Chiara (Benedetta Porcaroli) e Ludovica (Alice Pagani), duas adolescentes da alta sociedade de Roma que se envolvem com prostituição. O Centro Nacional de Exploração Sexual dos Estados Unidos (NCOSE) acusou a Netflix de promover o tráfico sexual na história de Baby. A organização alega que o último episódio “mostra um grupo de adolescentes entrando na prostituição como uma história glamourizada de amadurecimento.” Eita!

Apesar dessa denúncia, muitos críticos estão dizendo que a reação é um pouco exagerada. O argumento é que a narrativa da série é superficial e, por isso, não chega a promover a prostituição, apenas mostra como escolhas erradas e inconsequentes dos jovens podem ser prejudiciais à vida deles.

E você, assistiu às séries polêmicas da Netflix? Conta pra gente o que achou!

Os comentários estão desativados.

Próxima notícia